[Aviso] Pais, cuidem dos filhos durante a Missa!

Prezados, SM.

Peço que leiam até o fim, pois é importante. E escrevo com bom espírito, a fim de ajudar a todos.

  1. Nós sempre incentivamos e continuamos a incentivar que venha a família toda à Missa, incluindo os bebezinhos.
  2. Favorecemos isso porque é bom para a família e bom para as crianças, que, embora não tendo ainda o uso da razão, beneficiam-se das graças da Missa, por aí estarem. Elas também fazem parte daqueles que circundam o altar e que são mencionados no Memento dos vivos.
  3. É indispensável, porém, para que se alcance esse bem, que os pais cuidem dos filhos. Isso significa que os pais não podem deixar a criança ter um comportamento dentro da Capela que atrapalhe o bem comum.
  4. O bem comum é atrapalhado quando a criança faz um pouco mais de barulho. O que é fazer um pouco mais de barulho? É um barulho com intensidade maior ou mesmo um barulho com intensidade menor repetido algumas vezes. É preciso fazer algo para que o barulho cesse. Se o comportamento da criança não cessa logo, é preciso levá-la para fora da Capela e fazer que o comportamento cesse ou simplesmente aguardar (fora da Capela), se for o caso.
  5. A criança pode fazer barulho basicamente por três motivos: a) por alguma causa orgânica, como cólica, fome, etc.; b) por querer atenção; c) por querer sair da Capela ou querer outra coisa que não pode receber naquele momento.
  6. Não importa qual seja a causa, é preciso fazer algo e logo.
  7. Se é uma causa orgânica e não pode ser resolvida facilmente no instante, sair com a criança para resolver ou, se for o caso, simplesmente esperar passar (fora da Capela).
  8. Se ela estiver querendo atenção, é porque provavelmente ela consegue a sua atenção em outros momentos da vida fazendo birra, falando alto, gritando e outros comportamentos assim. Portanto, é preciso que isso não aconteça na vida da criança. Se ela já está acostumada a ter essa atenção com maus comportamentos, a Capela e a Missa não são os lugares e momentos adequados para corrigir isso, pois, na Capela e na Missa, você não pode deixar a criança fazendo birra, gritando, falando alto ou tendo outro comportamento inadequado para mostrar que ela não conseguirá nada com isso. Na Missa, você tem que fazer que isso cesse ou, pelo menos, que isso não atrapalhe os outros. E você vai agir na quotidiano para que a criança não receba atenção com esses comportamentos inadequados. E esses comportamentos vão desaparecer também na Missa e na Igreja.
  9. Se ela estiver querendo passear, vale o mesmo que para o número 8. Se ela tem um comportamento ruim para passear é porque ela consegue obter o que ela quer com comportamentos inapropriados: birras, choros, gritos, falando alto, jogando coisas, etc. Portanto, é preciso que isso não aconteça na vida da criança. Se ela já está acostumada a ter os resultados que ela quer com maus comportamentos, a Capela e a Missa não são os lugares e momentos adequados para corrigir isso, pois, na Capela e na Missa, você não pode deixar a criança fazendo birra, gritando, falando alto ou tendo outro comportamento inadequado. Na Missa, você tem que fazer que isso cesse ou, pelo menos, que isso não atrapalhe os outros. E você vai agir na quotidiano para que a criança não consiga o que ela quer com esses comportamentos inadequados. E esses comportamentos vão desaparecer também na Missa e na Igreja. E você deve fazer de modo que dentro da Capela seja mais agradável que fora ou que fora seja mais desagradável que dentro. É óbvio que se você tirar a criança e for passear com ela pela grama, mostrando a natureza, conversando com ela, ela vai preferir ficar do lado de fora. Para minimizar esse desejo de sair da Capela, deixe a criança em local em que ela possa acompanhar a movimentação no altar, para ela ver algo mais interessante na Missa, e não se entediar imediatamente.
  10. Dê atenção para a criança quando ela estiver se comportando bem: “Muito bem, fulano, você está em silêncio”. “Ótimo, fulano, você está sentado direitinho.” Aproveite o bom comportamento e explique a Missa, as partes da Missa, as imagens, o altar, os objetos sagrados. Não espere o seu filho se comportar mal para dar atenção a ele, pois, se for assim, ele vai associar mau comportamento com atenção e vai se comportar mal para ter atenção.
  11. Os pais assistem excelentemente à Missa cuidando desse modo dos filhos. Assistem mal, se não cuidam assim dos filhos.
  12. Reflita: o comportamento do seu filho na Missa é uma extensão do comportamento dele na vida. Se ele se comporta mal na Missa, está fazendo o mesmo na vida, e quase certamente você está reforçando, incentivando esse mau comportamento com as suas reações (mesmo com broncas dadas erradamente, por exemplo, broncas em que a criança recebe atenção indevida).
  13. O bom comportamento não é gerado espontaneamente ou de uma hora para outra, mas pode ser mudado, na maior parte das vezes, até com certa rapidez, se os pais entendem como manejar o comportamento dos filhos. Existem técnicas eficazes para isso.
  14. Meu objetivo é verdadeiramente ajudar na Missa e na vida de vocês. Um filho que se comporta mal é um fardo insuportável para os pais.
    Avante e ao Céu!