Ascensão do Senhor

(Do Missal Quotidiano D. Gaspar Lefebvre)

“Atravessando a nuvem, que O encobre aos olhares dos seus, Jesus sobe ao Céu, ao seio da Trindade eterna. A coroa da glória eterna cingirá para sem­pre a sua fronte divina.” 

Estação em S. Pedro 

Festa de 1° classe – Paramentos brancos 

Ao terminar a sua vida terrestre, Jesus sobe ao Céu como triunfador. A Igreja aclama-O na sua humanidade santa, chamada a sentar-se à direita do Pai e a partilhar a sua glória. Mas a Ascensão de Jesus é o penhor da nossa. Animada de imensa esperança, a Igreja ergue os olhos para o seu Chefe, que a precedeu na pátria celeste e nela a introduziu em sua pessoa, “porque o Filho de Deus, tendo incorporado a Si aqueles que a inveja do demônio expulsara do paraíso terrestre, os leva com’Sigo, na sua Ascensão para o Pai” (S. Leão, em matinas). 

Toda a vida da Igreja se enquadra entre a Ascensão do Senhor e a sua segunda vinda, no fim dos tempos. Segura de não ser iludida em suaesperança, propaga a mensagem do Senhor e difunde, por toda a parte, a sua graça, até ao dia, em que Ele há de voltar, para introduzir, definitivamente, na glória de seu Pai, todos aqueles que veio arrancar ao poder de Satanás. 

Epístola Extraída dos atos dos Apóstolos I. I-II 

Nos Atos dos Apóstolos, a descrição da Ascensão é um anúncio da missão da Igreja, obra essencialmente divina, realizada inteiramente sob os auspícios do Espírito Santo. 

Na primeira narração [1], ó Teófilo, falei de todas as coisas que Jesus fez e ensinou, desde o princípio até ao dia em que, tendo dado instruções, por meio do Espírito Santo, aos Apóstolos que tinha escolhido, foi arrebatado ao céu. Foi também a eles que, depois da sua Paixão, se lhes manifestou vivo, provando-lho  de muitas maneiras, ao aparecer-lhes por quarenta  dias, a  falar-lhes do reino de Deus. Estando, uma vez, a comer com eles à mesa, ordenou-lhes que não saíssem de Jerusalém, mas que esperassem a promessa do Pai, – “aquela, disse, de que Me ouvistes falar-vos: porque João batizou na água; vós, porém, dentro de pou­cos dias, sereis batizados [2] no Espírito Santo.» Perguntaram-Ihe, então, os que estavam reuni­dos: “Senhor! É agora que ides restaurar o reino em proveito de Israel?” Ele respondeu-lhes: “Não é a vós que pertence co­nhecer os tempos ou os momen­tos que o Pai fixou pela sua pró­pria autoridade! Quanto a vós, com o Espírito Santo que há de descer sobre vós [3], recebereis a sua força, e assim dareis teste­munho de Mim, em Jerusalém, em toda a Judéia e Samaría, e até aos confins da terra.» Tendo dito isto, elevou-se à vista deles, en­quanto uma nuvem O ocultou aos olhos deles. Estando assim a olhar para o céu, a vê-Lo subir, eis que apresentaram junto dele dois personagens vestidos de branco, que lhes disseram: “Homens da Galiléia, porque estais a olhar para o céu? Este Jesus, que acaba de se elevar ao céu, do meio de vós, virá do mesmo modo que O vistes ir para o céu.” 

EVANGELHO segundo S. Marcos 16.14-20 

Como na epistola, também aqui se afirma a conexão entre a partida de Jesus e a missão da Igreja incipiente; é sempre a obra do Senhor. 

Naquele tempo, apareceu Jesus à mesa, e censurou-lhes a sua in­credulidade e dureza de coração, por não terem dado crédito aos que O haviam visto ressuscitado. Em seguida, disse-lhes: “Ide pelo mundo inteiro, pregai o Evangelho a todas as criaturas: Quem crer e for batizado, será salvo; quem não crer, será con­denado. Os milagres que hão de acompanhar os que acreditarem, serão estes: Ao meu nome, ex­pulsarão os demônios: falarão no­vas línguas; pegarão em serpen­tes; e, se beberem alguma coisa de mortífero, não lhes fará mal; imporão as mãos sobre os enfer­mos, que serão curados.” Depois de assim lhes ter falado, o Se­nhor Jesus elevou-se ao céu, on­de está sentado à dextra de Deus. Eles, por seu lado, partiram a pre­gar por toda a parte, auxiliando-os o Senhor, e confirmando-lhes a pregação [4] com os milagres que a acompanhavam. 


[1] O terceiro Evangelho, dedicado igualmente, por S. Lucas, a Teófilo, cristão de elevada posição.

[2] Mergulhados e renovados.

[3] A missão dos Apóstolos realizar-se-á inteiramente sob a moção do Espírito Santo.

[4] Isto é, o Evangelho.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s